domingo, 14 de janeiro de 2018

Dia 18 - Adeus Bonito

Dia de ir embora de Bonito

Van às 10h

15/12/2017 - Aquário

Dia de conhecer a Gruta do Lago Azul e o Aquário, a segunda flutuação da nossa viagem.

Ao chegar na recepção da Gruta do Lago Azul as 8horas. voce recebe algumas instruções  e um capacete para a visita que é feita em grupos pequenos com acompanhamento de guias.

A gruta é um pouco escura e o piso é humido, por isso é preciso descer cm um certo cuidado, mas qualquer pessoa pode fazer a descida.

No fundo da gruta há um lago azulado que por 15 minutos por dia fica neon por causa da incidência  do Sol. E não é vque estes 15 minutos aconteceram exatamente quando estávamos lá dentro! Que privilégio! 

Não  é mais permitido mergulhar no lago, mas ainda assim é um passeio incrível.

Nosso segundo passeio dondia, o Aquário, e bem perto da cidade e ainda tínhamos muito tempo. Por isso voltamos para a cidade para almoçar. Há poucas opções para almoçar na cidade, a maior parte dos restaurantes só abre a noite. Acabamos tendo que comer em um Subway.

Partimos para a nossa flutuação que começaria as 14:30. Desta vez chegamos ao ponto de mergulho andando por volta de 1km.

O Aquário faz jus ao nome, um espetáculo.a grande diferença com relação ao Rio da Prata é a quantidade de vegetação.

Na volta paramos em um poço onde fizemos tirolesa. Andamos misbum pouco e demos de cara com dois jacarés!

Terminamos o dia no restaurante Aipim Cozinha de Raízes. Comemos um prato de carne

17/12/2017 - O bote

Dia de ir para Porto para fazer o nosso passeio de bote pelo rio Formoso. Tínhamos que estar lá `s 09:30.

Após nos perdermos um pouco chegamos ao nosso destino. Recebemos algumas instruções, recebemos  o colete salva vida e depois pegamos um ônibus para levar  a área de embarque.

Saíram  4 barcos com uma pequena diferença de tempo e eles se mantem próximos durante o passeio. Ao mesmo tempo que contemplamos a natureza, parte da brincadeira é cada grupo tentar atingir o outro com um balde de água.

Passamos por duas cachoeiras com o bote. A primeira foi a mais radical e o Fernando acabou tendo dificuldade de se segurar e quase se machucou. As outras foram mais suaves e em uma delas a descida foi de costas.

Voltamos para a sede e comemos um lanche.

06 fatos sobre bonito:
01 - Ok, os passeios são caros, mas temos que reconhecer que tudo é muito organizado. Os guias são muito bem preparados, muito são biólogos e realmente amam o que fazem. Em alguns passeios pode se ver o grande investimento que fazem para manter tudo aquilo funcionando.

02 - Leve um GPS online com você. Não conte com a rede de dados para usar o waze.

03 - Nos mapas dados pelas agências de turismo estão as distâncias entre a Praça principal da cidade e a atração. Controle isso pelo odometro do seu carro. Se perceber que andou mais do que devia, algo de errado aconteceu e é pra de replanejar o caminho ou pedir informações.

04 - Pacu na Juanita, imperdível!

05 - há poucos restaurante na cidade abertos na hora do almoço, por isso se algum dia for almoçar na cidade peça ajuda no hotel ou cheque no Tripadvisor.

06 - Van ou Carro entre Campo Grande e Bonito? A viagem de Campo Grande para Bonito levá cerca de 4 horas. Não há nenhuma atração no caminho. Optei por ir na Van oferecida pelas agências de turismo, assim podia relaxar após dois voos e é só alugar o carro em Bonito. A Van é  boa, mas podia estar com a refrigeração mais forte. Ela faz uma parada. Na ida ela parou em um lugar terrível, mas na volta parou em um lugar razoável.

16/12/2017 - Boca da Onça

Nosso destino de hoje é a Estância Ecológico Boca da onça.

Acordamos às 06h para tomar café e saímos do hotel às 7:10. Mas uma manhã de stress já  que tínhamos que estar no nosso destino às 08:00 e o Google Maps nos avisava que só chegaríamos lá às 8h:18.

A Fazenda é enorme e dirigimos um bom tempo dentro dela. Acabamos conseguindo chevar às 8h e o grupo já estava se preparando. Nosso grupo tinha mais 6 pessoas de uma mesma família.
Este é mais um passeio com guia em que chegamos ao início do roteiro em um caminhão pau de arara.

Iniciamos a trilha e logo paramos em um mirante que é base para um rapel de 90 metros e que tem uma vista espetacular da região. 

Caminhamos um pouco e descemos uma escada ingreme de madeira com 830 degraus que em alguns momentos eram bem estreitos.

Chegamos então a impressionante Cachoeira da boca da onça, que recebeu este nome por ter uma formação rochosa que realmente lembra uma boca de uma gigantesca onça. Pudemos mergulhar, mas não podiamos chegar perto da queda d'água, já que o fluxo de água estava muito forte e pela altura da Cachoeira se caísse uma pedrinha lá de cima...

Caminhamos mais e chegamos a outra  cachoeira linda? Nesta era possível chegar na queda d'água.
Tiramos fotos na Cachoeira do Fantasma  (tinha uma caverna igual a do antigo personagem de gibis) e na Cachoeira da Anta???????.

Chegamos então a um dos pontos altos do passeio, o Buraco do Macaco. Mais uma vez tivemos muita sorte, até  onde ontem esta parte estava interditada devido ao grande fluxo de água. O Buraco do Macaco funciona assim: você entra em um pequeno lago e passa por debaixo de uma rocha para chegar do outro lado onde há uma cachoeira linda imprensada entre rochas. Na passagem há um cabo guia para ajudar, mas você precisa tomar muito cuidado porque o espaço entre a água e o teto da passagem mal dá para a sua cabeça passar. Lindo!!!

De lá vimos varias cachoeiras lindas e muito parecidas com a que vimos em Plitivice na Croácia. As cachoeiras formam piscinas naturais sobrepostas e a água passa de uma para a outra de forma uniforme como se tivesse sido projetada por um designer de chafarizes.
Estas bordas que formam as piscinas são o resultado do que acontece no período de secas, quando folhas caídas   são sedimentadas com o calcário presente na água.

Depois de algumas subidas pegamos o nosso caminhão pau de arara para ir para a sede da fazenda para almoçar.

Retornamos ao hotel e aproveitamos pela primeira vez a excelente piscina do hotel.


14/12/2017 - Rio da Prata e Buraco das Araras

Primeiro passeio de bonito, a flutuação no Rio da Prata.

Em Bonito todos os passeios são com hora marcada e quase todos os nossos foram marcados  bem cedo. O de hoje é às 9:30h. Como o local fica a uma hora de distância, temos que sair às 8. Portanto tivemos que que acordar às 7h!!!! Dureza!

Após um excelente café  da manhã chequei o mapa e tentei ajustar o waze que não funcionou bem por falta de sinal da operadora. A Vivo pega muito mal em toda a região. Não sei como são  as outras operadoras, mas a Vivo pega muito mal em toda a região. Dados não funcionam em lugar nenhum. Para completar o Wi-Fi do hotel também é ruim.

O jeito então foi usar o mapa offline do  Google Maps que eu havia baixado na noite anterior. Conferi o mapa do Google com o mapa físico e aparentemente estava igualzinho. O problema é que parte da estrada estava em obras com um longo trecho sem asfalto, então o Google Maps resolver nos dar um caminho alternativo em que andei 40 Km a mais. Resultado, chegamos quase 20 minutos depois do horário.

Dica para quem vai a Bonito. A operadora Bonitour sugere um horário para você sair do hotel para o passeio se estiver de carro. Este horário é o tempo gravado para chegar no local. Sugiro sempre meio hora antes do que eles sugerem.

Bem, chegando 20 minutos atrasados considerei o passeio perdido. E realmente estaria se o pessoal da administração do Rio da Prata não tivesse feito uma troca com um casal que havia chegado bem antes do seu horário. Ufa!

O passeio começa com uma explicação  sobre as regras de segurança  do passeio como fazer a flutuação e a regra básica de nunca encostar com o pé no chão. Os rios de Bonito são transparentes porque o calcário filtra a água e outros componentes químicos fazem com que todos os detritos sejam depositados no fundo do rio. Se um bando de turistas começar a pisar no fundo a água ficará turva.
Pegamos então um pau de arara (uma pickup com dois bancos onde cabiam exatamente 8 pessoas) rumo a nossa flutuação.

O passeio inicia pelo rios Olho d`Água (por cerca de 1.800 metros) que depois desemboca no Rio da Prata por onde se continua por mais 600 metros. 

O rio Olho d`Água estava com a água completamente transparente. Parecia que nem existia água! muitos peixeis, incluindo dourados passavam bem perto. Um passeio mágico.

O Rio da Prata estava com a água turva por causa das chuvas das semanas anteriores.

Voltamos a sede para almoçar. Descansamos um pouco em umas redes junto ao restaurante e depois fomos para o Buraco das Araras que ficava bem perto.

Buraco das Araras é um passeio ao redor de uma dolina (formação geológica oriunda do desmoronamento do teto de uma caverna). São 970m de trilha e o trajeto passa por 2 mirantes para observação de aves.

Vimos algumas araras vermelhas no caminho e outras sobrevoando o buraco. Não foi muita coisa, mas de qualquer maneira valeu o passeio.

A noite fomos a Casa do João para comer o prato principal da casa, a Traíra sem Espinha. Muito bom, mas perdeu longe para o Pacu do dia anterior.

sábado, 23 de dezembro de 2017

13 de Dezembro de 2017 - Bonito, heim?

Dia 13 de Dezembro de 2017, dia de Viajar para  Bonito.

Os últimos dias foram especiais  no que diz respeito aos nossos filhos.
Fábio recebeu um e-mail super bacana de um professor da faculdade. Entre outras coisas elogiou o método de estudo, a dedicação e a índole. Fechou dizendo que é raro encontrar alunos como ele. 
Ontem tive o prazer de sair com o Felipe para ele treinar a direção no carro que ele comprou de mim. Dirigiu super bem apesar do carro ser bem grande.

Mas, vamos voltar para a viagem, uma maratona. 7:40 voo para Campo Grande com conexão em SP. Chegamos em Campo Grande as 11:30, que em Campo Grande era 10:30 (- 1 de fuso).
Esperamos por uma hora até pegar a Van para Bonito e comemos a pior esfiha do mundo.

Pegamos a Van para uma viagem de 4 horas. Depois de 1 hora paramos no recanto dos Amigos, onde comemos o pior buffet do mundo. Dava medo de olhar a comida. 2 x 0. Vamos compensar no jantar.
Chegamos a nossa pousada Gira Sol. Contratei o passeio que estava faltando para o ultimo dia e recebi o varro que alugamos, um UP. A primeira impressão do hotel foi ótima. Quarto novinho e enorme com uma cama de casal e duas de solteiro. O hotel tem um bonito jardim é uma boa piscina com hidromassagem.

Fomos dar um passeio pela rua principal, em que o movimento se concentra em uns 6 quarteirões perto da praça central que é bonita e bem cuidada.

Lançamos em uma pastelaria famosa no local chamada Pastel Bonito. Comi um pastel sugerido pela casa,  o de angu e a Miriam um napolitano. Delicioso!

Voltamos para o hotel para descansar e a noite fomos ao restaurante mais famoso da cidade, o Juanita. Comemos um Pacu na folha de bananeira que foi um dos peixes mais gostosos que eu comi na vida. Compensou com louvor as péssimas experiências gastronômicas da estrada.

Hora de dormir para estar preparado para  amanhã!

sábado, 2 de setembro de 2017

Dia 25 - Milão e o Bonde

Dia inteiro em Milão!

Começamos o dia em uma pequena cafeteria, onde o garçom virou o café na mesa e quase nos deu um banho de café quente.

Depois fomos para a avenida Buenos Aires, onde fica um comércio bem mais democrático que o do Quarteirão da Moda.

Deixamos as sacolas no hotel e fomos para o Eataly. O Eataly de Milão é pareceido com o Eataly de São Paulo, num estilo mais organizado. Confesso que gosto mais do ambiente caótico do Eataly de New York.

Além de ser o último dia, reservei uma surpresa para a Miriam. Há alguns meses quando estava preparando a viagem, ouvi falar de um jantar super especial a bordo de um bonde antigo que percorre a cidade de Milão durante duas horas enquanto você come. Não se trata de algo fake, mas um bonde de verdade que anda nos trilhos em que circulam os outros bondes. Entendi que isso seria um presente perfeito para comemorar o último dia da nossa viagem de 30 anos de casamento.

O problema era conseguir reservar a vaga em um bonde que tem apenas 8 mesas, sendo que apenas 4 são para duas pessoas (na verdade existe um segundo bonde, com mais 8 mesas que parte com uma hora de diferença do primeiro). Eles abrem a reserva 3 meses antes em um horário específico e lá estava eu com cada mão em um computador dando "atualizar" no browser para tentar pegar uma mesa. Em vão, quando liberaram já estava tudo reservado. Mas, eu sou teimoso e não ia desistir de dar este presente para a Miriam. Assim, durante semanas visitava o site em horários diferentes na torcida por uma desistência. Até que um dia apareceu uma mesa vazia e era minha!

Voltando ao dia 25, estava preocupado com o horário do embarque, tínhamos que estar lá às 19:45 e quando estamos em férias somos péssimos com horário. Quase sempre chegamos em shows ou peças correndo em cima da hora. O embarque não era feito em uma estação, e sim em uma ponto de bonde em uma rua pequena, de forma que eu queria chegar com antecedência para ter certeza que eu estava no lugar certo. Assim, tive que dizer para a Miriam que tínhamos um jantar especial e planejei chegar no lugar de embarque com meia de antecedência.

Quando chegamos na rua, fiquei parado e a Miriam não entendeu nada. Tive que inventar que o restaurante era longe e por isso tínhamos que esperar uma VAN.

Pouco depois chega o bonde, um lindo e charmoso bonde antigo.
Miriam disse: uau, que lindo!
E eu respondi. Que espetáculo! Vamos tirar uma foto na porta?

E aí parecia que foi tudo combinado - quando chegamos na porta o maitre apareceu no alto da escada e disse: Buona sera, benvenuto!

Miriam abriu um olhão e entramos no bonde meio assustada até cair a ficha que era um restaurante. Depois outra surpresa quando o bonde começou a andar. Um passeio fantástico, com uma comida maravilhosa e uma esposa linda!  Sem dúvida o jantar mais romântico da nossa vida.

Depois do passeio demos uma última volta pela cidade, incluindo a Galeria Vittorio Emanuele e voltamos para o nosso hotel.

Milão foi a grande surpresa surpresa da viagem! Adoramos a cidade!